Minas Gerais Cultura Empreendedora

Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE) completa 10 anos de atuação

O Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE), iniciativa do Sebrae com o objetivo de promover ações para fortalecer a cultura empreendedora nos municípios brasileiros nas redes pública e privada, completa em 2013 sua primeira década de existência com mais de 2,2 milhões de estudantes atendidos e 130 mil professores capacitados em mais de 6 mil instituições de ensino em todo o país.

Por Redação

28/11/2023 às 09:39:30 - Atualizado há

O Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE), iniciativa do Sebrae com o objetivo de promover ações para fortalecer a cultura empreendedora nos municípios brasileiros nas redes pública e privada, completa em 2013 sua primeira década de existência com mais de 2,2 milhões de estudantes atendidos e 130 mil professores capacitados em mais de 6 mil instituições de ensino em todo o país. Para celebrar a data, o Sebrae Minas realizará nesta quarta-feira (28/11) o Encontro Estadual ALI Educação Empreendedora, na sede da instituição, com palestras, painéis e cases de sucesso do PNEE.

Desde 2013, o programa atua em diferentes níveis da educação formal (Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação Profissional e Educação Superior) desenvolvendo pesquisas, estudos, ferramentas, cursos e eventos para formar e municiar educadores, alunos e gestores na temática da Educação Empreendedora.

Minas Gerais foi um dos estados pioneiros na implantação nesta temática com a inauguração da Escola do Sebrae em 1994, em Belo Horizonte. Mais de 800 municípios já foram contemplados com as ações do PNEE, beneficiando diretamente mais de 400 mil alunos e capacitando 41 mil professores.

Em virtude do trabalho longevo e de excelência no estado, Belo Horizonte foi selecionada como o Polo de Educação Empreendedora do Sistema Sebrae, sediando o Centro Sebrae de Referência em Educação Empreendedora (CER). Em BH, cerca de 1,3 mil educadores de escolas integrais da rede municipal de Belo Horizonte já participaram de capacitações por meio do PNEE. A iniciativa foi aplicada em 114 instituições de ensino da capital, contribuindo para a formação de quase 40 mil alunos.

"O Sebrae entende que a Educação Empreendedora é um dos mecanismos de transformação mais importantes da cultura de um país e, consequentemente, do mundo do conhecimento e do trabalho. Ela ajuda a estimular e desenvolve competências integradas à construção de projetos de vida, colabora para o desenvolvimento integral de estudantes, favorece o protagonismo juvenil e oferece soluções de aperfeiçoamento e valorização profissional para professores. Atuamos com um propósito de desenvolver o potencial das pessoas para se tornarem protagonistas da transformação da realidade", ressalta o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Marcelo de Souza e Silva.

A metodologia do PNEE está alinhada à Base Nacional Comum, Curricular (BNCC), documento de caráter normativo reconhecido pelo Ministério da Educação. Ele define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica.

Desde sua criação, o PNEE oferece diversas metodologias que se adaptam às necessidades dos educadores e da escola. Uma das iniciativas do Sebrae é o Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), curso desenvolvido para alunos do ensino fundamental com o intuito de valorizar a curiosidade e o pensamento crítico para ajudar na concretização dos objetivos.

Também há o Crescendo e Aprendendo, com foco nos alunos que desejam mergulhar nos desafios do mercado de trabalho. O curso prepara esses jovens para identificar oportunidades e criar soluções por meio de atitudes empreendedoras. Por sua vez, o Jovem Empreender no Campo é uma iniciativa que busca capacitar os jovens para dar continuidade aos negócios de família, especialmente em propriedades rurais.

O Empreendedorismo para a Educação Profissional é um curso aplicado por meio de uma disciplina inserida na carga horária dos cursos técnicos ou de formação inicial e continuada. Os alunos são estimulados a pensar em sua carreira, tendo o empreendedorismo como possibilidade de construção de um projeto de vida. Já o Empreendedorismo para a educação superior estimula o debate em torno do comportamento empreendedor para os alunos de cursos de graduação, orientando-os sobre a construção de um modelo e a elaboração de um plano de negócios.

Projetos inovadores

Em Montes Claros, no Norte de Minas, a Escola Estadual Coronel Filomeno Ribeiro é uma das referências na difusão da educação empreendedora. A instituição venceu por duas vezes o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora com dois projetos inovadores para alunos do ensino fundamental: "Ler é Crescer" e "Jogos Mais Que Especiais".

"Sabemos que a leitura era primordial em qualquer disciplina, mas tínhamos os resultados que tínhamos eram muito ruins, culminando em altas taxas de evasão escolar e reprovação. Nosso primeiro empreendimento foi focado no social, educacional e financeiro, no qual desenvolvemos uma moeda, que era repassado aos alunos quando eles liam um livro. Ao fim do bimestre, eles sacavam o valor e podiam gastar no 'Shopping do Leitor', espaço que contava com brinquedos, adereços, livros e outras coisas", afirma a gestora e ex-diretora da escola Clelma Rodrigues.

O segundo projeto é voltado para a inclusão social e surgiu em 2016 com a ideia de vender preconceitos contra pessoas de necessidades especiais. "Trata-se de um empreendimento educacional inclusivo, social e financeiro, no qual os professores do atendimento educacional especializado, juntamente com outros professores, os estudantes da educação especial e os demais alunos desenvolvem jogos pedagógicos, a partir de materiais recicláveis, para atender os alunos com necessidades especiais", explicou Clelma.

O jovem empresário Matheus Mendes Martins, de 25 anos, foi um dos alunos da escola e participou das mentorias do PNEE até 2016, quando cursou o 3º ano do ensino médio. Ainda na escola, ele esteve presente no curso Despertar, no qual passou por testes vocacionais, montou projetos para desenvolver características empreendedoras e viabilizou ideias de negócios. Por meio da capacitação, Mateus, ainda estudante, montou sua primeira empresa a CopyMoc, especializada em cópias e impressões.

Hoje, ele administra um restaurante e uma loja de artigos agropecuários, inspirado pelos conceitos de empreendedorismo aprendidos na sala de aula. "Sempre tive aptidão na questão empreendedora, mas desenvolvi as características na escola. Montar negócio não é dinheiro, é ter uma mentalidade própria. Nem sempre você precisa nascer com a característica empreendedora, mas é preciso praticar essas ideias", avalia o empreendedor", conta Mateus.

Turismo comunitário em Maravilha

No distrito de Maravilha, localizado a 97 quilômetros de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, a Escola Municipal Agrícola Geraldo Leão Lopes, gera resultados positivos e traz esperança aos alunos e à população local. Na iniciativa, que teve início em 2017, estudantes da educação infantil, do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e do Ensino Médio da rede municipal participaram de atividades com o objetivo de estimular o turismo comunitário e favorecer a geração de emprego e renda no local, que convivia com problemas de estrutura, como falta de água tratada, calçamento e rede de esgotos.

A partir disso, o Sebrae Minas estimulou uma série de capacitações dos professores com o JEPP. O curso possibilitou a eles o conhecimento necessário para transmitir aos alunos, de forma lúdica, as habilidades e o comportamento empreendedor, sensibilizando os estudantes para a importância do empreendedorismo.

Em 2021, o programa inspirou professores e alunos a realizarem o Festival Gastronômico Sabores da Terra, com produção de comidas caseiras típicas da região produzida por eles, como bolos, quitandas e doces. Outro projeto desenvolvido pela instituição de ensino é o Maravilha Tour, cujo o objetivo foi transformar um lago formado após a construção da Usina Hidrelétrica PCH Mucuri em um local para atividades de lazer, prática de esportes aquáticos e pesca esportiva, estimulando a geração de emprego e renda para a comunidade. Na iniciativa, os alunos atuarão no dia a dia na recepção de visitantes e na realização dos trabalhos.

Segundo a diretora escolar Valdinéia Araújo, o projeto teve desdobramentos positivos, com a percepção do poder público para o potencial empreendedor da comunidade e do Maravilha Tour e a realização de várias melhorias para que as iniciativas pudessem tornar-se realidade. "Para a implementação da atração turística, foram necessárias várias ações de melhoria na infraestrutura da comunidade. Isso agregou mais qualidade de vida para todos", ressalta a educadora.

Segundo ela, foi feita instalação da rede de telefonia móvel e internet, calçamento de ruas, implantação da iluminação em vias públicas e a construção da estação de tratamento de água e das redes de distribuição de água potável e de esgoto. "A maior deficiência e necessidade da comunidade era o acesso à água potável, o que finalmente está resolvido" destaca.

-

Programação

Encontro estadual ALI Educação Empreendedora e 10 anos PNEE

9h – Abertura

9h30 – Painel Cases de Sucesso ALI

10h15 – Talk

10h45 – Palestra: Como criar conexão com as novas gerações (Carolina Marra)

14h – Homenagem Cases de Sucesso

14h30 – Lançamento Revista 10 Anos PNEE

16h30 – Palestra: Me armando dre livros me livro de armas (Hélio de La Peña)

17h30 – Stand Up – Helio de La Peña

18h30 – Encerramento

-

Assessoria de Imprensa Sebrae Minas

[email protected]

3379-9271/9275/9278/9139

Comunicar erro
Dia a Dia Notícias

© 2024 Copyright © 2023 - Dia a Dia Notícias. Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Dia a Dia Notícias